Desabafar é um ato libertador e até pode ser a “cura” para grandes males. O problema é que nem sempre há quem queira ouvir os nossos dramas existenciais e, ou acabamos na cadeira de um psicólogo ou de um psiquiatra – quando o mal nem seque ré patológico –, ou deixamo-nos consumir pelo silêncio.

Ler mais >

Imagem e conteúdo retirados de www.destak.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *